Blog NeoImagine
Empreendedorismo

Empresário cria “Escola da Cachaça” com curso online sobre a bebida

O empreendedor Leandro Dias, de 34 anos, considera-se um empreendedor da cachaça. Há dois anos, criou a Middas, uma cachaça com flocos de ouro comestível. Há cerca de um mês, lançou a Escola da Cachaça, com um curso online que explora o universo da bebida.

A relação de Dias com a cachaça começou cedo – mas não como consumidor, vale dizer. Nascido em Adamantina (SP), Dias começou a ajudar no armazém dos avós aos 13 anos. “Servia bebidas aos clientes. Em troca, ganhava doces no fim do dia”, afirma Dias.

Posteriormente, já maior de idade, começou a beber cachaça. Ao mesmo tempo, descobriu-se empreendedor ainda na adolescência. “Tive algumas empresas nos setores de eventos e tecnologia”, diz.

Em 2013, Dias decidiu passar um ano no Canadá, onde foi aprender inglês e fez um curso de negócios. Ele levou algumas garrafas de cachaça consigo. O destilado fez muito sucesso por lá. “Levei cachaça a algumas festas em que o pessoal servia bebidas de alta qualidade. E, mesmo assim, o nosso aguardente era o primeiro a acabar. Isso despertou em mim o interesse de atuar no mercado da cachaça”, afirma o empreendedor.

Ao voltar ao Brasil, Dias começou a perceber que as pessoas do país, geralmente, não conhecem cachaças de qualidade e não valorizam o destilado. “O público normalmente conhece as variedades mais baratas da cachaça e da enorme qualidade que a bebida tem. Vi que havia uma oportunidade de negócio e decidi mudar esse cenário.”

Em maio de 2014, Dias lançou a Cachaça Middas. A bebida é fabricada na cidade paulista de Dracena, próxima a Adamantina, e se destaca por ter flocos de ouro comestível em sua composição – o produto é importado da Alemanha. “Escolhi usar os flocos porque a cachaça brasileira é tão boa que merece ser combinada com o ouro. Foi mais para chamar a atenção a esse fato. Não teve nada a ver com ostentação”, diz o empreendedor.

A marca tem dois rótulos: a Middas Reserva, envelhecida em barris de carvalho e ideal para degustação, e a Middas Branca, envelhecida em barris de amendoim e boa para beber pura ou em drinks. A primeira custa R$ 230 e a segunda custa R$ 180.

Segundo Dias, desde que criou a Middas, foram gastos cerca de R$ 930 mil. Ele não revela o faturamento da empresa, mas afirma que a Middas tem a capacidade de produzir, atualmente, mil garrafas da Middas Reserva e 10 mil garrafas da Middas Branca por ano.

Educação cachaceira
Há um mês, Dias e o jornalista e especialista em cachaça João Almeida lançaram a Escola da Cachaça. A iniciativa também tem a ver com o sonho do empreendedor de valorizar o destilado brasileiro.

O curso é totalmente online e explora o universo da bebida: ensina a história, tipos e estilos do destilado, dicas de harmonização, a relação entre o consumo da aguardente e a saúde e como fazer drinks com cachaça. Os alunos também ganham acesso a todas as palestras do Congresso Nacional da Cachaça, evento online realizado em 2015, e a livros digitais sobre o assunto.

Segundo Dias, o curso tem como alvo o consumidor final da bebida. “Nossa missão é ajudar as pessoas a ter uma experiência mais prazerosa ao apreciar uma cachaça”, diz.

O material pode ser acessado a qualquer momento. “Se o aluno se engajar em um ritmo mais tranquilo, estudando aos fins de semana, por exemplo, o curso pode ser completo em mais ou menos cinco semanas”, afirma o empreendedor.

O curso da Escola da Cachaça custa R$ 287. Ao pagar, o usuário tem acesso ao material por dois anos.

O empreendedor não revela quantos alunos a Escola da Cachaça tem. Mas diz que deseja vender entre 3,5 mil e 4 mil cursos até o fim do ano.

Fonte: Revista PEGN